Pular para o conteúdo principal

Bateu Nostalgia: Mona, a Vampiro


Eu estava pela internet, na esperança de encontrar algum vestígio da serie animada "Mona, a Vampiro", mas nada. Anos atras, eu já tinha procurado muito, por toda a parte, Youtube...sites...e nada. Resultado: O que me restou foi derramar minha nostalgia sobre vocês.


Originalmente Mona The Vampire, o desenho canadense é baseado numa serie de histórias curtas escritas por Sonia Holleyman. Chegou ao Brasil através do Cartoon Network, passando depois pelo Boomerang e Record, mas foi na TV Cultura onde ganhou popularidade e se tornou um marco na infância de muitos, um deles é o blogueiro que vos fala.

 A sinopse do desenho dizia:
"Conheça as histórias de uma menina chamada Mona, que acredita ser uma vampira e sempre dá uma de detetive. Ela usa dentes caninos reluzentes e sempre está vestida com uma capa feita da cortina da sala de jantar. 

Nas aventuras, ela conta com a ajuda da turma - como o gato vampiro, o menino Dentuço, o melhor amigo Charlie e a melhor amiga Lily - para achar as soluções de estranhos mistérios que atormentam a sua cidade".


"Mona,a Vampiro" não era só um desenho, era um convite ao uso da imaginação, já que essa era a única fonte de onde Mona bebia. A garota era daquelas crianças com espirito de liderança, capaz de meter os amigos em todos os seus esquemas, fazendo com que eles acreditassem em toda a fantasia criada. A vida podia ser chata como fosse, mas os olhos da filha dos Parker davam um toque de terror em tudo. 

Ah! Quase esqueci de dizer, o que mais me fez gostar do desenho era que eles não acabavam imaginando um reino feito de castelos, mas sim zumbis, espantalhos amaldiçoados e etc. Os personagens eram grandes fãs de filmes e histórias de terror.


Algo engraçado é: Como uma serie com temática de vampiros e monstros agradou tanto às crianças?

 Ai surge um mistério maior do que o por que da Mona ser um vampiro e não uma vampira, cadê os episódios dublados? Rolou lançamento de DVD aqui no Brasil, mas os seres egoístas que compraram não disponibilizaram na net. Então fica o apelo: Se você tem esse DVD ou qualquer episodio dublado, faça esta caridade e divida conosco. Ah, e TV Cultura, sinta-se intimada a reexibir.


Atualização: Alguém ouviu as minhas preces e disponibilizou episódios dublados no Youtube

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Betty Boop, a Verdadeira História

Apesar de não estar no ar em nenhuma animação no momento, Betty Boop é certamente uma das personagens de cartoon mais populares do mundo. Ela está por toda a parte, canetas, camisetas de times de futebol e até tatuagens de senhoras de meia idade. Mas qual a sua origem?

Inês, um retrato do Brasil

Em 2012, outro vídeo viralizava na internet. O que parecia ser só mais um meme passageiro trouxe a público uma personalidade pitoresca do país, que acabou por despertar simpatia em milhões de pessoas. Este alguém em questão é Inês Tânia Lima da Silva, mais conhecida pelo nome artístico de Inês Brasil, que, com um vídeo de inscrição para um popular reality show , viu nascer o sonho de uma carreira musical que a tirou da prostituição.

Julie e os Fantasmas: Analisando as diferenças entre a série da Netflix e a original brasileira

  A série gringa da Netflix inspirada na original brasileira "Julie e os Fantasmas" estreou no último dia nove e, como acompanhei a exibição da trama da Band, decidi dar uma conferida nos primeiros episódios da nova versão, a fim de ver se a obra tupiniquim estava sendo bem adaptada e analisar as diferenças. A criação de Fabio Danesi, Paula Knudsen e Tiago Mello narrava a história de Julie, uma adolescente apaixonada por música e que não tinha coragem de se apresentar em público. O chamado para a aventura vem quando ela, seu pai e irmão se mudam para uma casa velha, onde encontra um antigo estúdio e coloca um LP para tocar. Assim, libertando os músicos mortos: Daniel, Félix e Martin. Juntos, eles realizam seus sonhos musicais. Em "Julie and the Phantoms", da Netflix, a ausência da mãe da protagonista permanece, mas agora por motivo de falecimento e a menina não muda de casa, apenas passa a explorar mais o antigo estúdio da mãe e liberta os fantasmas tocando