Pular para o conteúdo principal

Nordestern: As histórias de faroeste ambientadas no sertão brasileiro

Aventuras no nordeste brasileiro (O Cangaceiro)

Os filmes de faroeste são verdadeiros clássicos, protagonizados por cowboys estadunidenses e permeando a cultura ocidental. O Brasil tem o seu equivalente às obras de western, são aventuras no maior estilo bang bang ambientadas na região nordeste do país, apelidadas de nordestern.

O gênero surgiu em 1953, com o filme "O Cangaceiro", que se baseava na história de Lampião e seu bando. A película foi premiada em Cannes e levou o cinema brasileiro para todo o mundo. Se nos Estados Unidos era comum que protagonistas de filmes do velho oeste  como Tom Mix e John Wayne – ganhassem suas próprias revistas em quadrinhos, aqui também aconteceu. Milton Ribeiro, destaque do filme de Lima Barreto, estrelou uma série de HQs que levava seu nome.

Vanja Orico, 90: nas rendas da saudade
Neste filme maravilhoso (assistam com urgência), ainda vale destacar o desempenho de Vanja Orico, que não só atuou como cantou brilhantemente e saiu em turnê por todo o mundo, divulgando a música brasileira. Ela ainda atuaria em diversos filmes da temática nordestern, como "Lampião, o Rei do Cangaço", "Cangaceiros de Lampião" e "Jesuíno Brilhante, o Cangaceiro". A artista também teve papel emblemático durante a ditadura, quando se ajoelhou na frente de um comboio militar, pedindo que não atirassem nos manifestantes.

Famosos Que Partiram: Milton Rangel

Meses após o lançamento de "O Cangaceiro", foi criada a radionovela "Jerônimo, o Herói do Sertão". A obra era transmitida pela Rádio Nacional e contava a história do herói titulo que, ao lado de sua noiva Aninha e de seu companheiro de aventuras Moleque Sacy, vagava pelo sertão combatendo o mal. A série ultrapassou fronteiras e se tornou um gibi de sucesso. Os radioatores viraram verdadeiras celebridades e, nas páginas extras da revista em quadrinho dos anos cinquenta, o leitor tinha acesso a uma breve biografia dos que interpretavam Jerônimo, Brasil afora, já que havia um ator por região.

Jerônimo, o Herói do Sertão (1972) | InfanTv -

Posteriormente, a criação de Moysés Weltman inspirou até literatura de cordel, sendo adaptada para LP, telenovela na TV Tupi, filme e novela novamente, desta vez produzida e transmitida pelo SBT.

A temática também foi abordada em outros produtos, como a radionovela "Juvêncio, o Justiceiro do Sertão" (qualquer semelhança não é mera coincidência). Além da influência de Jerônimo, o personagem tinha traços de nomes internacionais como Zorro e Lone Ranger, ganhando as páginas das revistas em quadrinhos assim como eles. A novela foi encerrada na metade dos anos setenta, devido à concorrência com a TV e à censura imposta pela ditadura.


Os números e a força de Bacurau, o melhor filme de 2019 - APLB ...
Exemplos recentes dos faroestes nordestinos são "Bacurau", de 2019, e "O Matador", produção da Netflix de 2017. Em 2012, Paulo Goulart Filho anunciou estar envolvido na produção de uma trilogia do mais puro nordestern, baseado na história do cangaço. Os filmes estão em processo de produção desde então. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Betty Boop, a Verdadeira História

Apesar de não estar no ar em nenhuma animação no momento, Betty Boop é certamente uma das personagens de cartoon mais populares do mundo. Ela está por toda a parte, canetas, camisetas de times de futebol e até tatuagens de senhoras de meia idade. Mas qual a sua origem?

Inês, um retrato do Brasil

Em 2012, outro vídeo viralizava na internet. O que parecia ser só mais um meme passageiro trouxe a público uma personalidade pitoresca do país, que acabou por despertar simpatia em milhões de pessoas. Este alguém em questão é Inês Tânia Lima da Silva, mais conhecida pelo nome artístico de Inês Brasil, que, com um vídeo de inscrição para um popular reality show, viu nascer o sonho de uma carreira musical que a tirou da prostituição.

De Irmã de Kennedy a Ator de Hollywood: Vítimas Famosas da Lobotomia

Você tem depressão, alguma fobia ou questão psicológica? E se o seu médico receitasse a retirada de uma parte do seu cérebro como tratamento? Pode parecer bizarro, mas esta era uma prática comum no começo do século XX, chamada de Lobotomia. A intervenção cirúrgica desenvolvida pelo médico português António Egas Muniz perdeu popularidade por transformar os pacientes em verdadeiros vegetais quando não os levava à morte. À seguir, tratamos sobre algumas figuras conhecidas que foram vitimas do procedimento.