Pular para o conteúdo principal

De Chavoso da USP a Drag Queen: Canais do Youtube para se desconstruir

YouTube by the Numbers (2020): Stats, Demographics & Fun Facts

É 2020 e quem não está buscando se desconstruir dos conceitos preestabelecidos pela sociedade, está no caminho errado. O momento histórico que estamos vivendo exige que entendamos os fenômenos sociais, tendo consciência dos nossos privilégios e colocando-se na posição de ouvinte diante das mais diversas narrativas. Hoje indico alguns youtubers que têm me ajudado neste processo.



Natália Romualdo e Maristela Rosa apresentam o Papo de Preta desde 2015, canal criado para dar voz às mulheres negra. As duas jornalistas falam sobre cultura pop, beleza, cotidiano e sociedade, fazendo refletir sobre temas importantes. Vale ressaltar o jeito como as profissionais da comunicação denunciam o modo como a imprensa trata o racismo, no quadro "Análise Preta". Na defesa de seus ideais, as meninas usam de vasto conhecimento e muito deboche, eu acho lindo. 


Thiago Torres, morador da Brasilândia, em São Paulo, viralizou como o "Chavoso da USP" e mantêm um canal bastante interessante no Youtube. O estudante de Ciências Sociais fala sobre preparação para vestibular, negritude, gênero e sexualidade, religião, política, veganismo e periferia, tudo isso utilizando gírias próprias do local onde nasceu e democratizando o conhecimento para seus semelhantes. Com o visual funkeiro, ele quebra esteriótipos e divide o conhecimento que vem adquirindo na Universidade de São Paulo.


Tempero Drag era um canal de receitas veganas apresentado pela drag queen Rita Von Hunty, até que o Brasil foi entrando no momento sombrio que vivemos hoje e Guilherme, o ator por trás da personagem, passou a utilizar de seus conhecimentos acadêmicos para falar de consciência de classe, marxismo, exploração da força de trabalho e demais questões sociais, tudo com humor e uma edição dinâmica. O canal tem crescido bastante e vale à pena conferir. 



Agora, falamos sobre Mariana Torquato, do canal "Vai Uma Mãozinha Aí?", definitivamente uma das minhas influencers preferidas. Ela surgiu no Youtube há 3 anos, trazendo representatividade para pessoas com deficiência e expondo seu ponto de vista acerca de uma campanha da Vogue, onde preferiram utilizar atores globais e lhes retirarem partes do corpo através de Photoshop, descartando a ideia de chamar um deficiente físico real. Mariana está ativa nas redes sociais até hoje, lutando contra o capacitismo, e se posicionando a favor da acessibilidade e inclusão. 



Ainda se tem uma visão bastante estereotipada acerca dos indígenas brasileiros, a fim de descontrui-la Cristian Wariu se torna Youtuber e divide sua vivência com milhares de pessoas. O xavante, com descendência Guarani, luta contra a desinformação acerca de seu povo, corrigindo diversos equívocos cometidos ao longo dos anos. Ele esclarece, por exemplo, que a palavra "índio" não é a correta para se referir aos donos desta terra, mas sim "povo originário" ou "indígenas".

Algo muito importante é que a maioria dos influencers citados sempre traz indicações de leituras, documentários e demais conteúdos para aprofundamento sobre os assuntos tratados nos vídeos. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Betty Boop, a Verdadeira História

Apesar de não estar no ar em nenhuma animação no momento, Betty Boop é certamente uma das personagens de cartoon mais populares do mundo. Ela está por toda a parte, canetas, camisetas de times de futebol e até tatuagens de senhoras de meia idade. Mas qual a sua origem?

Inês, um retrato do Brasil

Em 2012, outro vídeo viralizava na internet. O que parecia ser só mais um meme passageiro trouxe a público uma personalidade pitoresca do país, que acabou por despertar simpatia em milhões de pessoas. Este alguém em questão é Inês Tânia Lima da Silva, mais conhecida pelo nome artístico de Inês Brasil, que, com um vídeo de inscrição para um popular reality show, viu nascer o sonho de uma carreira musical que a tirou da prostituição.

De Irmã de Kennedy a Ator de Hollywood: Vítimas Famosas da Lobotomia

Você tem depressão, alguma fobia ou questão psicológica? E se o seu médico receitasse a retirada de uma parte do seu cérebro como tratamento? Pode parecer bizarro, mas esta era uma prática comum no começo do século XX, chamada de Lobotomia. A intervenção cirúrgica desenvolvida pelo médico português António Egas Muniz perdeu popularidade por transformar os pacientes em verdadeiros vegetais quando não os levava à morte. À seguir, tratamos sobre algumas figuras conhecidas que foram vitimas do procedimento.