Pular para o conteúdo principal

Embate entre estudos e senso comum chega ao estopim na CNN

Gabriela Prioli vira meme e bomba no twitter

A CNN chegou ao Brasil e devo admitir que, perante seu histórico internacional e contratações controversas (William Wack, recém demitido da Globo por tecer comentário racista ao vivo, foi um dos nomes anunciados), não esperava muito do canal. Minha surpresa positiva se deu no programa "O Grande Debate", onde a comentarista Gabriela Prioli traduzia o cenário político para os espectadores, mas não por muito tempo.

Gabriela, mestre em direito penal, professora de pós-graduação e especialista em política de drogas, debatia temas importantes com Caio Copolla...formado em direito. O distanciamento intelectual dos dois era notório, Caio conhecia alguns poucos termos técnicos, inseridos em discursos rasos de defesa ao atual governo. Três programas após a estréia, Copolla foi afastado por motivos de saúde, substituído por Tomé Abduch, que conseguiu tornar o programa ainda mais constrangedor.
Manifestantes cantam música de Roberto Carlos para Sergio Moro
Tomé é engenheiro, empresário e completamente apaixonado por Jair Bolsonaro. Ele até mesmo se coloca no lugar de messias e voz do povo brasileiro, assim como seu representante no governo federal, defendendo-o cegamente. Uma ocasião interessante foi o debate sobre a Medida Provisória que previa a suspensão dos contratos de trabalho por quatro meses, comemorada por Tomé como um grande acerto do governo para equilibrar a economia. Quando o presidente revogou o trecho, no dia seguinte, Tomé parabenizou o chefe de Estado por reconhecer o erro e glorificou a atitude.

Enquanto Gabriela Prioli tentava manter o debate técnico, baseado em pesquisas, Tomé Abduch se comportava como se estivesse em um palanque, convidando o povo a acordar, extremamente comovido e abismado com "isso tudo que tá aí". Afinal, vale tudo para defender o "cidadão de bem", até mesmo interromper sua colega de debate diversas vezes, a fim de introduzir mais uma dose de senso comum e discurso genérico.

Tomé vinha fugindo dos temas propostos, com sua retórica populista e despreparada, passando por um grande vexame diário, que teve seu estopim na última sexta-feira (27), durante uma discussão sobre a prisão domiciliar de Eduardo Cunha, em virtude do Coronavírus. Lá estava Tomé Abduch, com seu discurso preconceituoso, elitista e dificuldade de conjugação verbal de sempre. O comentarista questionava a falta de rigidez da nossa constituição e criticava as leis com claro desconhecimento de causa ou o mínimo esforço para fazer parecer que o tinha, enquanto, do outro lado da bancada, Gabriela Prioli se mostrava frustrada por não conseguir, mais uma vez, aprofundar o debate, já que o colega insistia em fugir dele, com sua visão assumidamente leiga.

CNN Brasil tenta reverter demissão de Gabriela Prioli - Telepadi

É quando entra em cena Reinaldo Gottino, ex apresentador da Hora da Venenosa, quadro de fofocas que comandou ao lado da Fabíola Reipert e de uma cobra de pelúcia, na Record. O jornalista, que deveria mediar a discussão, tenta constranger a comentarista, convidando-a a deixar a visão técnica (munida de dados e vivência profissional), e adotar o olhar apaixonado, de torcedor de time, do colega Tomé.

No domingo (29), Gabriela Prioli anuncia sua saída do programa, por não conseguir exercer a sua função. O descaso do canal para com a intelectual destaca que sua intenção nunca foi criar um debate de ideias enriquecedor, mas sim digno do Programa do Ratinho, ou melhor, do Balanço Geral, apresentado por Gottino, anteriormente.

Sem ter tido a capacidade de encontrar um conservador de direita com uma retórica baseada em estudos reais e não em teorias da conspiração, a CNN já perde em qualidade após apenas duas semanas de estreia. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Betty Boop, a Verdadeira História

Apesar de não estar no ar em nenhuma animação no momento, Betty Boop é certamente uma das personagens de cartoon mais populares do mundo. Ela está por toda a parte, canetas, camisetas de times de futebol e até tatuagens de senhoras de meia idade. Mas qual a sua origem?

Inês, um retrato do Brasil

Em 2012, outro vídeo viralizava na internet. O que parecia ser só mais um meme passageiro trouxe a público uma personalidade pitoresca do país, que acabou por despertar simpatia em milhões de pessoas. Este alguém em questão é Inês Tânia Lima da Silva, mais conhecida pelo nome artístico de Inês Brasil, que, com um vídeo de inscrição para um popular reality show, viu nascer o sonho de uma carreira musical que a tirou da prostituição.

De Irmã de Kennedy a Ator de Hollywood: Vítimas Famosas da Lobotomia

Você tem depressão, alguma fobia ou questão psicológica? E se o seu médico receitasse a retirada de uma parte do seu cérebro como tratamento? Pode parecer bizarro, mas esta era uma prática comum no começo do século XX, chamada de Lobotomia. A intervenção cirúrgica desenvolvida pelo médico português António Egas Muniz perdeu popularidade por transformar os pacientes em verdadeiros vegetais quando não os levava à morte. À seguir, tratamos sobre algumas figuras conhecidas que foram vitimas do procedimento.