25 fevereiro 2020

De assassino a youtuber: Conheça o maior serial killer do Brasil

Resultado de imagem para pedrinho matador

O homem que mais matou pessoas de forma seriada no Brasil se chama Pedro Rodrigues Filho, nascido em Minas Gerais, em 1954. O assassino se sentia um tipo de justiceiro e tirava a vida daqueles que considerava "maus". Entre eles, o líder da gangue rival, colegas de cela e até mesmo seu próprio pai.


Sua carreira teve inicio aos 14 anos, quando seu primo lhe chutou em uma discussão e Pedro, futuramente conhecido como "Pedrinho Matador", resolveu jogar-lhe em um moedor de cana para se vingar, desferindo golpes de facão no parente. Mais tarde, seu pai foi demitido do emprego de guarda escolar, acusado de roubar merenda. Então, Pedro matou o prefeito da cidade em retaliação e, posteriormente, também matou o homem que julgava ser o verdadeiro ladrão de merenda. 

Resultado de imagem para pedrinho matadorLogo, muda-se pra São Paulo e passa a roubar bocas de fumo e assassinar traficantes. Os homens "maus". Mais tarde, casa-se com a viúva de um dos traficantes e assume sua boca de fumo, cometendo diversos outros assassinatos. Em seguida, sua esposa foi morta e, mais uma vez, Pedrinho jurou vingança e deixou uma trilha de corpos por onde passou em busca do responsável pelo crime, invadindo o casamento do rival e deixando diversas vitimas. 

O já citado pai de Pedrinho matou a esposa com 21 facadas, ativando o senso de justiça do filho do casal. O maior serial killer do Brasil o atacou com facadas, arrancou seu coração...e mastigou. Em 1973, ele foi preso e, entre idas, vindas e assassinatos de colegas de cela por roncarem demais, cumpriu 34 anos de pena. 

Alguns fatos ajudaram a formar sua imagem "mítica", como ter cometido boa parte dos crimes antes da maioridade, sua tatuagem com os dizeres "mato por prazer" e prometer matar o famoso Maníaco do Parque. Hoje, o ex-criminoso se converteu ao evangelho e mantém um canal no Youtube (será que a collab com o Luccas Neto vem? Vamos torcer).

Nenhum comentário:

Postar um comentário