20 junho 2019

Papisa Joana: A Igreja católica já foi liderada por uma mulher?


Resultado de imagem para päpstin johanna

Crônicas popularizadas no século 13 espalharam a lenda de que o lugar hoje ocupado por Papa Francisco já teria pertencido a uma mulher durante dois ou três anos. Haveria uma instituição patriarcal como a Igreja Católica sido liderada por alguém como Papisa Joana?

Imagem relacionada


Na Idade Média , a Igreja vivia uma crise na sede
de Roma e seria este o cenário encontrado por Joana. Segundo as lendas, ela era uma jovem oriental extremamente culta que se fazia passar por homem (és tu, Mulan?) para ter acesso a educação, formando-se em teologia e filosofia. Como dito nesta versão, Joana substituiu Papa Leão IV, tornou-se amante de um membro da Guarda Suíça e engravidou.

Outro conto supõe que ela se apaixonou por um monge, indo com ele para Roma. A fim de evitar um escândalo, Joana assumiu uma identidade masculina chamada Johannes Angelicus, tornando-se cardeal. Após a morte de Leão, teria sido eleita unanimemente por conta de sua inteligência.

Imagem relacionada Joana logo saberia que estava grávida, escondendo a gestação por baixo das vestes de papa. Seu segredo apenas foi descoberto durante uma procissão entre o Museu de Roma e a Igreja de São Clemente. Lá, teria sentido as dores do parto e dado a luz em meio à multidão. Os fiéis reagiriam com indignação, amarrando-a a um cavalo e apedrejando-a até a morte.

Historiadores não chegam a um consenso quanto á fidelidade dos rumores e procuram sua origem. Há quem acredite que os contos foram espalhados por igrejas rivais para desmoralizar a Católica ou surgiram quando um eunuco foi rejeitado durante a corrida papal e, por ser castrado, foi tido como mulher. Religiosos inclusive chegaram a acreditar que a Papisa fora um demônio evocado por ateus (?) .

A lenda me parece claramente algo criado para contradizer a misoginia típica da Igreja na Idade Média e todos os requisitos necessários para um líder religioso. E pra você? 

Nenhum comentário:

Postar um comentário