Pular para o conteúdo principal

De Roberto Carlos a Anavitória: Cantores brasileiros que se arriscaram no cinema


Imagem relacionada

Quando um artista pop estoura, é natural que a industria crie diversos produtos licenciados que levem seu nome. Brinquedos, roupas e até obras cinematográficas. Se fora do Brasil artistas como Beatles, Elvis e Spice Girls interpretaram a si mesmos em filmes de grande bilheteria, aqui, também foram muitos os cantores que viveram este momento. É sobre eles que falaremos hoje.

 Acompanhado por Wanderléa e Erasmo, Roberto Carlos teve seu auge nos cinemas de 1968 até 1971. Nos filmes de ação, o rei enfrentava bandidos, viajava o mundo e ainda sobrava tempo para algumas sequências de cantoria aleatória. Sou obrigado a destacar "Roberto Carlos e o Diamante Cor-de-rosa", filme mais assistido de 1970. Os três líderes da Jovem Guarda estão no Japão, quando Wanderléa compra uma estatueta antiga e os ícones passam a ser perseguidos por uma quadrilha de lutadores orientais. O filme nasceu como uma forma de expandir o programa que os cantores já apresentavam na TV e a trama como um pretexto para capitalizar em cima do sucesso absoluto que faziam.

Resultado de imagem para acquaria sandy e junior

Depois de fazerem a série de levava seu nome durante anos, Sandy e Junior resolveram diversificar em "Acquária". Com dez milhões de investimento e apenas um milhão de espectadores, o filme se passava num futuro onde o planeta sofria com a escassez de água e havia sido reduzido a um grande deserto. No filme, o grande objetivo dos protagonistas é finalizar uma máquina capaz de produzir água. A trama de ficção científica era bem corajosa, fugindo dos padrões dos filmes nacionais da época e dos clichês musicais.

Resultado de imagem para ivete stellar

 Agora, vamos direto pra deep web. Depois de fazer parte do elenco de filmes como "Simão, o fantasma trapalhão"  e "Xuxa gêmeas", Ivete Sangalo finalmente ganharia um longa para chamar de seu. Em 2010, o projeto da animação futurista 3D "Ivete Stellar e a pedra da luz" veio à público. O filme contaria a história de uma cantora que contagia o publico das micaretas interplanetárias com seu jeito único. Depois que as forças malignas do Imperador Karrak atacam, Ivete se torna líder da resistência e passa a lutar contra o malvado para restabelecer a alegria do universo. A baiana ainda teria  a ajuda de Xuxa e Carlinhos Brown para derrotar seu inimigo. O projeto acabou engavetado, mas devo admitir que tenho muita curiosidade em saber como seria o resultado final.

Resultado de imagem para ana e vitória filme

 As próximas a tentarem a sorte na sétima arte nacional são as meninas do duo Anavitória. Descobertas por Tiago Iorc e lançadas ao estrelato em 2015, Ana Caetano e Vitória Falcão conquistaram a internet e foram indicadas ao Grammy Latino. Agora, as meninas buscam novos desafios no longa  "Ana e Vitória", que mistura ficção e fatos da vida das meninas sob a direção de Matheus Souza. Classificado como uma "comédia musical romântica", o filme contará com canções inéditas do duo e tem estréia marcada para agosto. A ideia original para "Ana e Vitória" partiu do ator Felipe Simas.



 Pelo trailer, o filme parece ser bem interessante. Interpretando a si mesmas, as meninas parecem bem orgânicas em cada texto que dão. Fica a torcida pra que não seja só mais um produto licenciado. 

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Betty Boop, a Verdadeira História

Apesar de não estar no ar em nenhuma animação no momento, Betty Boop é certamente uma das personagens de cartoon mais populares do mundo. Ela está por toda a parte, canetas, camisetas de times de futebol e até tatuagens de senhoras de meia idade. Mas qual a sua origem?

Inês, um retrato do Brasil

Em 2012, outro vídeo viralizava na internet. O que parecia ser só mais um meme passageiro trouxe a público uma personalidade pitoresca do país, que acabou por despertar simpatia em milhões de pessoas. Este alguém em questão é Inês Tânia Lima da Silva, mais conhecida pelo nome artístico de Inês Brasil, que, com um vídeo de inscrição para um popular reality show , viu nascer o sonho de uma carreira musical que a tirou da prostituição.

Julie e os Fantasmas: Analisando as diferenças entre a série da Netflix e a original brasileira

  A série gringa da Netflix inspirada na original brasileira "Julie e os Fantasmas" estreou no último dia nove e, como acompanhei a exibição da trama da Band, decidi dar uma conferida nos primeiros episódios da nova versão, a fim de ver se a obra tupiniquim estava sendo bem adaptada e analisar as diferenças. A criação de Fabio Danesi, Paula Knudsen e Tiago Mello narrava a história de Julie, uma adolescente apaixonada por música e que não tinha coragem de se apresentar em público. O chamado para a aventura vem quando ela, seu pai e irmão se mudam para uma casa velha, onde encontra um antigo estúdio e coloca um LP para tocar. Assim, libertando os músicos mortos: Daniel, Félix e Martin. Juntos, eles realizam seus sonhos musicais. Em "Julie and the Phantoms", da Netflix, a ausência da mãe da protagonista permanece, mas agora por motivo de falecimento e a menina não muda de casa, apenas passa a explorar mais o antigo estúdio da mãe e liberta os fantasmas tocando