Pular para o conteúdo principal

Conheça o indie pop de Arlissa



Não faz muito tempo, eu vagava pela internet em busca de novas músicas para adicionar à minha playlist quando, por acaso, encontro essa moça e seus vídeos acústicos gravados em estúdio. Falo de Arlissa, cantora inglesa que, desde os 19 anos, vem conquistando seu espaço no indie pop mundial.




 Arlissa compõe desde a escola e a profundidade de suas letras unida à sua interpretação causa um efeito muito positivo em quem ouve. Para impressionar ela não precisa de muito, na maioria dos vídeos Arlissa é acompanhada apenas por um pianista. É assim com “Multiply”, musica através da qual a conheci.


 Seu single mais recente foi “Hearts Ain’t Gonna Lie”, uma parceria com o produtor musical de Tropical House Jonas Blue (a canção também possui versão acústica no canal oficial da cantora). No clipe da música lançada com o apoio da Universal Music, Arlissa dança aleatoriamente num cenário vermelho e, por incrível que pareça, o resultado ficou muito bom.   

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Betty Boop, a Verdadeira História

Apesar de não estar no ar em nenhuma animação no momento, Betty Boop é certamente uma das personagens de cartoon mais populares do mundo. Ela está por toda a parte, canetas, camisetas de times de futebol e até tatuagens de senhoras de meia idade. Mas qual a sua origem?

Inês, um retrato do Brasil

Em 2012, outro vídeo viralizava na internet. O que parecia ser só mais um meme passageiro trouxe a público uma personalidade pitoresca do país, que acabou por despertar simpatia em milhões de pessoas. Este alguém em questão é Inês Tânia Lima da Silva, mais conhecida pelo nome artístico de Inês Brasil, que, com um vídeo de inscrição para um popular reality show, viu nascer o sonho de uma carreira musical que a tirou da prostituição.

De Irmã de Kennedy a Ator de Hollywood: Vítimas Famosas da Lobotomia

Você tem depressão, alguma fobia ou questão psicológica? E se o seu médico receitasse a retirada de uma parte do seu cérebro como tratamento? Pode parecer bizarro, mas esta era uma prática comum no começo do século XX, chamada de Lobotomia. A intervenção cirúrgica desenvolvida pelo médico português António Egas Muniz perdeu popularidade por transformar os pacientes em verdadeiros vegetais quando não os levava à morte. À seguir, tratamos sobre algumas figuras conhecidas que foram vitimas do procedimento.