14 setembro 2017

Resenha de HQ: 'Mercenário$', de Fran Birggs e 'Khalifor', de J.M. Trevisan



 Hoje, apresento-lhes mais uma resenha de quadrinhos nacionais. De um lado, Mercenário$, com quatro protagonistas que surgem na linha tênue entre heróis e anti-heróis. Do outro, Khalifor, que conta a história de aventureiros que lutaram bravamente para manter a cidade-fortaleza do universo de Tormenta, popular RPG brasileiro.




"Mercenário$" é uma fantasia medieval de Fran Brigs e Anna Giovannini. As autoras desconstruíram o padrão de herói medieval com o qual estamos acostumados, criando personagens como Gaspar, o líder do grupo cujo maior interesse é conseguir mais poder e se tornar um exímio dominador de sombras, e Marga, integrante feminina do grupo que está longe de ser só um rostinho bonito. Ainda temos Franco, o bardo cômico e Windslasher, o elfo misterioso que se junta ao grupo na busca pela cura de uma praga que está desolando vilarejos do continente de Psykhé.


O universo criado pelas autoras é bem interessante, assim como o perfil de cada personagem, com seus próprios dramas e motivos singulares para estarem em busca da cura da praga. Mas, pouco depois de o elfo se juntar ao grupo, um acontecimento os separa. Nas 96 páginas que compõem o quadrinho, Fran e Anna tentam desenvolver um grupo de personalidades complexas.

Minha reclamação fica quanto ao desenvolvimento da história. Por ser um experimento das autoras, uma HQ feita à fim de apresentar o universo de "Mercenário$" antes que a serie protagonizada por Dominic Windslasher estreasse, nos foi apresentada uma história com começo, meio e fim. A impressão que se tem é que os fatos ocorrem de forma prematura. Os personagens se mostravam com certa profundidade e prestes a se revelarem até o fim de uma jornada em grupo, mas esta não aconteceu. Ao menos poderemos conhecer mais de Windslasher nas histórias que virão, agora com um novo grupo de personagens que também parece merecer atenção.

 Alguns dos momentos mais divertidos e que fizeram o formato de "Mercenário$" se diferir de tantas outras HQs fantásticas foram as cenas de "bastidores" que o leitor pode conferir ao fim de cada capitulo. Parece que estamos vendo uma versão em quadrinhos de um daqueles quadros do Video Show onde os erros de gravação das novelas são mostrados. 

















"Mercenário$" é a reformulação de uma serie de quadrinhos lançada na revista Dragão Brasil. Anteriormente, a história se passava no cenário de Tormenta, mas agora ganha o seu próprio universo. Esta história em três capítulos parece ter sido apenas um especial para apresentar esse novo cenário ao leitor. Ainda acho que o quarteto merecia uma história maior onde o desenvolvimento fosse mais fluído e tinha potencial para protagonista de uma série de HQs. Mas enfim, agora é aguardar pelo lançamento desse quadrinho de fantasia medieval que está sendo financiado num site de financiamento coletivo.













 "Khalifor", de J.M. Trevisan e Ricardo Mango, é mais uma HQ que acontece no cenário de Tormenta, mostrando o passado de Arton. A história se passa em Khalifor, uma cidade-fortaleza que vem perdendo força e é ameaçada pela horda goblinoide 
Aliança Negra. A cidade está prestes a cair e a grande maioria se nega a acreditar num ataque eminente, mas, em meio ao caos, surge um grupo de heróis que decide defendê-la até o fim. Nosso protagonista conseguiu se salvar de um massacre causado pelos mesmos que ameaçam a cidade, ele é Randar Axeblade, o que foi mais recentemente recrutado por este grupo de heróis.  





 Trevisan também é autor do já conhecido mangá "Ledd" e podem-se notar algumas semelhanças entre esses dois trabalhos. Assim como foi no primeiro volume de "Ledd", acompanhamos uma narrativa introdutória e com vasto potencial para evoluir durante a publicação da serie. Para mim, algo bastante positivo é que o escritor não se preocupa em apresentar os personagens de forma muito aprofundada inicialmente, trazendo uma sequência de eventos que prende o leitor e nos apresentando a realidade atual destes, de forma que boa parte do membros da historia seguem sendo pontos de interrogação que serão respondidos nas próximas publicações. A separação em capítulos, as fontes e tudo mais também remetem à "Ledd" e explicitam a assinatura de J.M. Trevisan.


 Ao inicio do volume, temos algumas páginas coloridas onde podemos contemplar as artes de Ricardo Mango em toda a sua gloria e, ao fim, conferimos um pouco do que seria o romance que serviu como base para a criação da HQ, nunca publicado por motivos não especificados pelo autor. Além desta experiencia interessantíssima, podemos conhecer o histórico de criação dos personagens entre um capitulo e outro.

A arte de Ricardo Mango merece uma menção honrosa. Seu traço é maravilhoso e eleva "Khalifor" ao patamar de obras orientais conhecidas. Um de seus pontos fortes são as cenas de ação, muito bem trabalhadas e trazendo a ideia de movimento da melhor forma para o leitor. Quem já acompanha o universo de Tormenta, sabe como essa história vai acabar, mas o que culminou nestes acontecimentos só é possível ver na HQ. Apesar de possivelmente apresentar certa estranheza para os leitores pouco familiarizados com RPGs e que podem se perder entre goblins, goblinoides e bugbears — criaturas tipicas desses jogos  o primeiro volume de Khalifor rompe com o padrão dos quadrinhos fantásticos e dá bom inicio ao novo trabalho de Trevisan. 


Espero que vocês deem uma chance ao menos a uma destas HQs e sigam incentivando nossos autores nacionais a investirem em novos projetos do estilo. Nos resta aguardar que o financiamento de "Mercenário$" e o próximo volume de "Khalifor" aconteçam logo.

2 comentários:

  1. Olá Kauan, joguei muito RPG e amava, hoje é só lembranças.
    A ilustração está linda e só quando terminei de ler o post que pude saber se tratar de obra nacional, está magnifica.
    Sucesso a eles.

    Beijos.
    https://cabinedeleitura0.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Olá! Então, eu não sou uma pessoa que lê muitos quadrinhos, faz tempo que não o faço na verdade. Eu amo quando tem paginas coloridas, na verdade, se o hq todo ou o manga for colorido, eu já me animo. Enfim, adorei o seu post ❤️

    Um beijo

    ResponderExcluir