18 julho 2015

Primeiras Impressões: "Dercy de Cabo a Rabo",de Maria Adelaide Amaral

 O que fazer quando você ainda não terminou um livro, mas precisa desesperadamente conversar sobre ele? Meus amigos sugeriram uma postagem de primeiras impressões e aqui estou eu para fazê-la. O livro é "Dercy de Cabo a Rabo", de Maria Adelaide Amaral.

 Pra quem não sabe, eu sou um grande fã da comediante Dercy Gonçalves e isso se deu anos atrás, quando me deparei com um de seus filmes em preto e branco sendo exibido pela TV Cultura. Eu disse: "Nossa, quem é essa atriz hilária?" e minha mãe respondeu: "É a Dercy". Não acreditei de primeira, mas dei uma googlada e descobri que era sim. Até então, a única imagem que tinha dela era a mesma que a maioria tinha: Uma velha desbocada que dizia coisas na TV que a minha família preferia que eu não ouvisse. Foi quando li sobre sua trajetória de vida e vi a maioria de seus trabalhos hilários no cinema. Desde então, me tornei um grande fã.

 Querendo saber mais e mais sobre a primeira dama da comédia brasileira, descobri que esta já havia sido biografada por Maria Adelaide Amaral, outra a quem muito admiro, e que o livro se chamava "Dercy de Cabo a Rabo". Eu simplesmente precisava. Depois de muita procura, decidi comprá-lo pela Amazon e ,horas depois de sua chegada, já estava sendo devorado por mim. 

 Dercy tinha o sonho de ser biografada, e deu esta honra à escritora Maria Adelaide Amaral, que percebeu que para que o livro tivesse a cara da artista, precisaria ser narrado pela mesma. A comediante contou suas memórias à escritora, que organizou tudo e fez este livro que certamente entrará para minha lista de favoritos.

 Em "Dercy de Cabo a Rabo" conhecemos a mãe superprotetora que nunca quis que a filha herdasse a fama de puta que tinha desde virgem, a esposa obsessivamente ciumenta que quase matou a amante do marido com uma arma descarregada, a cleptomaníaca ladra de sabão e a garotinha que, cansada de apanhar do pai e louca para perseguir seu sonho de ser artista, fugiu de casa. São incontáveis as curiosidades que descobri nessas páginas. Ao ler cada parágrafo é como se ouvisse a voz daquela senhora imprevisível, que narra histórias dignas de uma comédia nada clichê. Chega a ser estranho pensar que uma pessoa real viveu tudo aquilo. Mesmo quando a situação é triste, Dercy faz o que o brasileiro faz de melhor, ri de sua desgraça. 

 Esta é a minha primeira biografia lida, e não podia ter começado melhor. Se você é fã ou não da Dercy, recomendo muito que leia este livro, garanto que pelo menos umas boas gargalhadas você vai dar. Ah, certamente haverá uma resenha completa em breve!

Um comentário: