Pular para o conteúdo principal

Entrevista: "Está formidável e estou muito feliz de estar participando",diz Germana Viana sobre atual momento dos quadrinhos

CCXP - Germana Viana


Os quadrinhos nacionais que, até algum tempo, não tinham tanto espaço em nossas estantes, vêm voltando com força total. Quando se fala em quadrinhos nacionais minha editora favorita é a Jambô,e foi numa das minhas visitas à Jambô Loja Virtual que conheci "Lizzie Bordello e As Piratas do Espaço" e, consequentemente, sua autora. Autodefinida como "mei-nerd mei-punk, vegeteba, tricoteira, cycle bitch...", Germana Viana vem falar sobre seus projetos, suas influências e sobre o futuro de Lizzie e sua turminha do barulho.


Você já agenciou artistas para o mercado norte-americano, já foi letrista e designer. Em que momento você resolve criar e ilustrar seus próprios quadrinhos?
Foi bem antes disso, eu era teen ainda. Foi quando eu vi, na banca, as "formatinhos" da Abril, com a Elektra e a Jean Grey descendo o cacete em todo mundo. :D Ali, surgiu a vontade. Mas a coragem mesmo de tentar um projeto meu, surgiu no FIQ (Festival Internacional de Quadrinhos, em BH) de 2013. Ô festival mágico! Adorei!


Como foi participar da revista "As Periquitas", sendo ela feita somente por cartunistas mulheres?
Germana-Viana |Foi delicioso! E curiosidade: não foi uma mulher que me convidou, foi o mestre Franco de Rosa. :D Daí, mostrei meus trabalhos pra cartunista Crau da Ilha, a idealizadora do projeto, e ela curtiu. O mais bacana é que algumas Periquitas meio que formaram uma e-irmandade, mesmo nem sempre morando próximas, sempre trocamos ideia, divulgamos os trabalhos umas das outras. Muito legal mesmo!


Quais foram as suas influências para a criação das histórias da Lizzie Bordello?
Puxa, muita coisa me influencia! E não apenas quadrinhos, mas bora falar deles: os trabalhos do irmãos Hernandez sempre me influenciam demais (em tudo na vida hahahaha). Tank Girl, especialmente na fase do Jamie Hewllet. Rê Bordosa, do Angeli. E inúmeros outros autores e artistas que nem transparecem de maneira mais clara no meu trabalho, mas que fazem minha cabeça há tempos como Gaiman, Mazzucchelli, Moore, Ellis,Trina Robbins. Agora, fora quadrinhos: cinema, seriados, desenhos animados, músicas.

Como aconteceu a sua parceria com a Jambô Editora e como está sendo receber o retorno dos fãs?
Foi divertido. Eu demorei a mostrar para eles porque fiquei sem jeito, eles publicam material do meu marrrido (o Rogerio Saladino) e não queria que eles ficassem constrangidos em dizer não, caso não gostassem. Daí, fui apresentar em outras editoras antes e tomei uma bronca "Pô, por que não trouxe logo pra cá?" :D Eles são muito legais, profissionais e corretinhos!

Já há previsão para o lançamento dum outro encadernado de Lizzie Bordello e As Piratas do Espaço?
Opa! Já estou produzindo material novo das Piratas - em abril começo a postar algumas histórias inéditas, inclusive para quem já tem o primeiro álbum. Daí, como no primeiro, farei uma história inédita/brinde e se tudo der certo, sai um segundo encadernado no final do ano.

Qual a sua opinião sobre a atual situação dos quadrinhos nacionais?
Está formidável! Material de qualidade, criatividade rolando solta e para todos os gostos. Opções de publicações tanto online quanto impressa. Esse é um momento muito bom! Estou muito feliz de estar participando dele.

Hoje suas obras são lidas por muita gente, mas o que você mais tem lido ultimamente?
Ai que delícia! É muito legal saber que alguém que não conheci ainda está lendo o que escrevi e desenhei!!! \o/ Bom, mas o que tenho lido... tanta coisa mas não tanto quanto gostaria. :D Leio bastante quadrinhos Marvel: j'adore Demolidor (você leu as histórias do Mark Waid? De-mais! Boas que nem Queda de Murdock, cara!!!), Deadpool e Gavião Arqueiro. Sempre que consigo encomendar, leio os novos Love and Rockets. Gostei demais de Da Terra à Lua, do Estevão Ribeiro. Me divirto demais com Garota Siririca, da lovelove6. Mas sempre estou atrasada com as leituras de HQ porque tenho mania de reler as coisas que gosto. Fora os livros, né? :D

Quais os seus objetivos e próximos projetos no mundo dos quadrinhos?
Bão... como disse acima, os planos pra Lizzie Bordello e as Piratas do Espaço são de começar a postar histórias completamente inéditas, a partir de abril, no www.lizziebordello.com e na fanpage do facebook e no final do ano, encadernado \o/. E tem também, Oceano de Brumas, uma história que eu desenho, com uma pegada mais high fantasy, escrita pelo Luis Kosmiskas - dá para acompanhar por aqui: www.oceanodebrumas.com e pela fanpage do FB. Estou também escrevendo e desenhando um outro título: Clotilde e Marione. São duas senhoras que são vizinhas, amigas e resolvem crimes por aê.... :D Mas ainda não tem prazo de lançamento.

Foi um prazer trazer um pouco da carreira da Germana. Já tinha começado a ler "Oceano de Brumas", adorei a ideia das coroas que ainda vão derrubar o Sherlock Holmes e torço para que dê tudo certo pro lançamento do próximo encadernado da Lizzie (a vida sem Deus não dá, gente!). Ainda não conhece o trabalho da Germana? Tá esperando o que pra conferir todos os link's que ela deixou? Com certeza você não vai se arrepender.

Comentários

Postar um comentário

Postagens mais visitadas deste blog

Betty Boop,a Verdadeira História

Apesar de não estar no ar em nenhuma animação no momento, Betty Boop é certamente uma das personagens de cartoon mais populares do mundo. Ela está por toda a parte, canetas, camisetas de times de futebol e até tatuagens de senhoras de meia idade. Mas qual a sua origem?

Inês, um retrato do Brasil

Em 2012, outro vídeo viralizava na internet. O que parecia ser só mais um meme passageiro trouxe a público uma personalidade pitoresca do país, que acabou por despertar simpatia em milhões de pessoas. Este alguém em questão é Inês Tânia Lima da Silva, mais conhecida pelo nome artístico de Inês Brasil, que, com um vídeo de inscrição para um popular reality show, viu nascer o sonho de uma carreira musical que a tirou da prostituição.

O Que Houve com Laurie Forman de "That's 70 Show"?

"That's 70 Show" é uma das sitcoms de maior sucesso já produzidas. A série era centrada num grupo de amigos do Wisconsin que, diante das poucas opções de entretenimento da época em que a história se passa, gastava seus dias reclamando da vida no porão de Eric, protagonista do seriado. A irmã mais velha dele, Laurie, foi crescendo na história até fazer parte da turma. Mas, na metade da série, a personagem sumiu abruptamente.