Pular para o conteúdo principal

Resenha: O Espadachim de Carvão


  Hoje venho para fazer minha segunda resenha literária. O livro de hoje é nacional e uma das aventuras mais fantásticas em que um leitor pode entrar. Falo de "O Espadachim de Carvão",do Affonso Solano. Lembra que falei que ia fazer alguns post's com versão escrita e em video? Pois. Este é o primeiro.



 O livro conta a história de Adapak, que é filho dum dos deuses criado por Affonso Solano. Porém, nem sempre foi assim. Em seus primeiros anos, o espadachim foi acolhido como um filho pelo casal Barutir e  Nafaela, até ser entregue a quem parece ser seu pai: O deus Enki Nar. O jovem espadachim, que até então,pouco tinha saído dos arredores da casa que lhe dava quase tudo que precisava, vê o "mundo" que conhecia cair. Adapak passa a fugir do grupo assassinos que invadiu a ilha onde vivia...Mas porque? Quem são? E...o que é ele? Essas perguntas são feitas pelo Adapak,e por nós mesmos.


 "O Espadachim de Carvão" se passa no passado e no presente do protagonista,que sai em busca de respostas, mas acaba indo de encontro a velhos amigos...Que já não são tão amigos assim.

Vale parabenizar o autor,que além de criar personagens bem construídos,criou uma ótima história e um novo mundo. Em Kurgala não existem anos, mas ciclos. Não existem metros, mas cascos. Muitas especies vieram direto da imaginação de Affonso, algumas são até complicadas de imaginar,mas isso não atrapalha o quão dentro da história você está. Vi uma resenha em vídeo, onde a moça falava que o fato do mundo ser muito "construído",não tê-la agradado. A mim isso não incomodou,pelo contrário.


 O efeito surpresa e a ação que vem logo depois dele, são dois motivos para não desgrudar do livro até terminar. Nem todos os autores tem facilidade de descrever bem e transmitir a devida emoção numa cena de ação. Nos quadrinhos, com imagens para reforçar, para o leitor é mais fácil de imaginar,já no caso dos livros... Enfim,isto não acontece ao Affonso. Me peguei em diversos momentos meio nervoso, pensando "Como esse cara vai sair dessa?!".

  Outros livros irão narrar as aventuras do Espadachim de carvão e serão lançados breve. Algo interessante é que Adapak cita várias vezes livros duma dupla de aventureiros. Muitos fãs torcem para que Affonso Solano o publique, sou um deles. Minhas maiores considerações você pode conferir abaixo:



 Personagem favorito: Adapak
 Personagem menos favorito: Tarish
 Página preferida: 249

 Curtiu? Se interessou pelo livro? Para comprar, clique AQUI.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Betty Boop, a Verdadeira História

Apesar de não estar no ar em nenhuma animação no momento, Betty Boop é certamente uma das personagens de cartoon mais populares do mundo. Ela está por toda a parte, canetas, camisetas de times de futebol e até tatuagens de senhoras de meia idade. Mas qual a sua origem?

Inês, um retrato do Brasil

Em 2012, outro vídeo viralizava na internet. O que parecia ser só mais um meme passageiro trouxe a público uma personalidade pitoresca do país, que acabou por despertar simpatia em milhões de pessoas. Este alguém em questão é Inês Tânia Lima da Silva, mais conhecida pelo nome artístico de Inês Brasil, que, com um vídeo de inscrição para um popular reality show , viu nascer o sonho de uma carreira musical que a tirou da prostituição.

Julie e os Fantasmas: Analisando as diferenças entre a série da Netflix e a original brasileira

  A série gringa da Netflix inspirada na original brasileira "Julie e os Fantasmas" estreou no último dia nove e, como acompanhei a exibição da trama da Band, decidi dar uma conferida nos primeiros episódios da nova versão, a fim de ver se a obra tupiniquim estava sendo bem adaptada e analisar as diferenças. A criação de Fabio Danesi, Paula Knudsen e Tiago Mello narrava a história de Julie, uma adolescente apaixonada por música e que não tinha coragem de se apresentar em público. O chamado para a aventura vem quando ela, seu pai e irmão se mudam para uma casa velha, onde encontra um antigo estúdio e coloca um LP para tocar. Assim, libertando os músicos mortos: Daniel, Félix e Martin. Juntos, eles realizam seus sonhos musicais. Em "Julie and the Phantoms", da Netflix, a ausência da mãe da protagonista permanece, mas agora por motivo de falecimento e a menina não muda de casa, apenas passa a explorar mais o antigo estúdio da mãe e liberta os fantasmas tocando