Pular para o conteúdo principal

100 Anos de Saraiva


A primeira coisa que voce vai pensar é que fiz parceria com a Saraiva (quem dera!) e isso é uma propaganda. Engano seu,coisinho. Este post tem como finalidade unicamente homanagear a livraria que mais visitei na vida... e onde mais vi meu pobre dinheirinho me dar "adeus".

 No mesmo ano em que Monteiro Lobato criava o Jeca Tatu,Chaplin criava Carlitos e Joaquim Ignácio criava a querida Saraiva. Em São Paulo,perto duma faculdade de direito,nascia a Livraria Acadêmica,especializada em livros jurídicos. Estes podiam ser pagos quando os estudantes pudessem,isso graças a um sistema de crédito criado pelo sr. Saraiva.

A relação de Saraiva com os alunos era tão proxima que chegava a causar ciumeira em professores. A livraria viria a editar titulos proprios e começaria a se tornar o que é hoje.

No inicio dos anos quarenta acontecia a primeira noite de autógrafos na Saraiva. O escritor era Erico Verissimo e a obra era "Saga". Anos depois viria a diversificação editorial,começando por livros de português. Nos anos seguintes haveria venda de porta em porta,inauguração da primeira MegaStore até a inauguração do site de vendas. Não posso esquecer da minha parte favorita,a Saraiva passou até a transformar textos de escritores independentes em livros através da plataforma de self-publishing.

Não podia deixar de fazer este post e prestar as minhas homenagens para a minha segunda casa . São poucos os lugares onde me sinto á vontade,e a Saraiva é um destes. Lá posso ouvir Beatles e ler mangás...ao mesmo tempo. Cara,ainda tem comida,tô com um projeto de me ficar lá até o Jorge Saraiva Neto aparecer e me expulsar. O evento está sendo comemorado em todo o país. Mais uma vez : Parabéns para a Saraiva e para todos que fazem ela ser o que é e mantém vivo o sonho do sr. Joaquim.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Betty Boop, a Verdadeira História

Apesar de não estar no ar em nenhuma animação no momento, Betty Boop é certamente uma das personagens de cartoon mais populares do mundo. Ela está por toda a parte, canetas, camisetas de times de futebol e até tatuagens de senhoras de meia idade. Mas qual a sua origem?

Inês, um retrato do Brasil

Em 2012, outro vídeo viralizava na internet. O que parecia ser só mais um meme passageiro trouxe a público uma personalidade pitoresca do país, que acabou por despertar simpatia em milhões de pessoas. Este alguém em questão é Inês Tânia Lima da Silva, mais conhecida pelo nome artístico de Inês Brasil, que, com um vídeo de inscrição para um popular reality show , viu nascer o sonho de uma carreira musical que a tirou da prostituição.

Julie e os Fantasmas: Analisando as diferenças entre a série da Netflix e a original brasileira

  A série gringa da Netflix inspirada na original brasileira "Julie e os Fantasmas" estreou no último dia nove e, como acompanhei a exibição da trama da Band, decidi dar uma conferida nos primeiros episódios da nova versão, a fim de ver se a obra tupiniquim estava sendo bem adaptada e analisar as diferenças. A criação de Fabio Danesi, Paula Knudsen e Tiago Mello narrava a história de Julie, uma adolescente apaixonada por música e que não tinha coragem de se apresentar em público. O chamado para a aventura vem quando ela, seu pai e irmão se mudam para uma casa velha, onde encontra um antigo estúdio e coloca um LP para tocar. Assim, libertando os músicos mortos: Daniel, Félix e Martin. Juntos, eles realizam seus sonhos musicais. Em "Julie and the Phantoms", da Netflix, a ausência da mãe da protagonista permanece, mas agora por motivo de falecimento e a menina não muda de casa, apenas passa a explorar mais o antigo estúdio da mãe e liberta os fantasmas tocando