02 outubro 2014

A História Curiosa do Concurso de "Rainha das Atrizes"



  Já falei muito de internet, atualidade, video...CHEGA! Vamos voltar para a essência deste blog e falar da minha querida velharia (no sentido mais carinhoso da palavra). Muito já falamos das vedetes, mas está na hora de falar das grandes atrizes da mesma época e do concurso que muitas consagrou, falo do concurso "Rainha das Atrizes".

 A cultura vive uma eterna crise em nosso país, e foi pensando nisso que Rego Barros (tente não pensar em trocadilhos) decidiu criar algo que deixasse o teatro em evidência. Uma baile faria sucesso...Mas se há baile, por que não eleger uma rainha? Nascia o concurso de Rainha das Atrizes, prêmio cobiçado por muitas da época.


 O inicio da década de trinta foi marcado pelo inicio do concurso. Segundo informações do jornal "Carioca" de 28 de Agosto de 1950, a primeira rainha foi Regina Maura, mas há quem diga que foi Margarida Max. Esta fez bastante sucesso nas décadas de vinte e trinta no teatro do Rio de Janeiro. Enfim! Seguiremos a ordem considerada oficial, que é a do jornal. 

 Regina Maura logo trocaria os palcos por uma carreira na politica. Regina logo viraria Conceição da Costa Neves e se tornaria conhecida como a "Deputada Mãe dos Leprosos" e viveria com o grande Procópio Ferreira, dono da companhia que integrava. Regina viria a infartar em 1989 e falecer em seu apartamento.

 No ano seguinte era a vez de Lu Marival, que ainda nem era atriz, o que causou revolta nas outras concorrentes. Ela só viria a pisar num palco dois anos depois. A maioria de suas conquistas tinha como grande responsável o teatrólogo Paulo de Magalhães, e essa não foi diferente. Chegou a abandonar os palcos para cuidar do lar, mas anunciou numa reportagem que voltaria. Faleceria em 2000.



 A terceira seria Eva Todor, hoje contratada da Globo, que viria a ser a mais jovem a reinar e repetiria o feito dois anos depois. No ano seguinte, haveria um empate entre Alma Flora e Guy Martinelli
, e estas decidiram transferir seus votos para uma outra atriz. A tal atriz era Lygia Sarmento que entrou em choque ao descobrir que havia ganhado o concurso. Hoje existe até rua com o nome dela.

 Alda Gariddo, a eterna Dona Xepa do teatro e dos cinemas, foi eleita por seus fãs e soube apenas na ultima hora. No ano seguinte era a hora de Margot Louro, a esposa do grande Oscarito e... Que tal dar uma adiantada nisso? À partir de agora falarei das rainhas mais interessantes. 



 Em 1943 Nena Napoli venceria, mesmo com a campanha da grande Dercy Gonçalves (<3), que cobiçava o prêmio, para que isso não acontecesse. Isso seria um prato cheio na mídia de hoje, vocês não devem ter entendido a dimensão da coisa. Acredita que a Nena teve que andar até com guarda costas temendo por sua integridade física? Ai, ai, Dercy...




 Anos depois, chega a vez de Cléa Suzana, que venceu por seu talento...MIDIRA! A atriz gastou 20.000 cruzeiros para comprar os jornais onde vinham os cupons com os quais você podia votar. Com esse desespero todo ela acabou garantindo a coroa. Pouco tempo depois surgiram escândalos envolvendo sua eleição, mas esses não mudaram nada. Ela voltaria ás manchetes dizendo que teria gasto até mesmo um milhão, mas seria reeleita: "Não adianta o veneno das minhas inimigas."...não rolou né...já era de se imaginar. Não houve sucessão.

 Sabe o mais bizarro? O concurso de primeira significava consagração, mas logo viria a ser considerado ruína. Boa parte das atrizes vencedoras deixaram a carreira logo depois. Obrigado a todos que leram até o final...todas as três pessoas. Abraço!

Nenhum comentário:

Postar um comentário