04 setembro 2014

Holy Avenger,O Maior 'Mangá' Brasileiro de Todos os Tempos



  Hoje venho falar sobre o melhor quadrinho em estilo mangá do Brasil. A serie em questão é a bicampeã do Troféu HQ Mix,Holy Avenger. Baseada no cenário do RPG Tormenta,a serie escrita por Marcelo Cassaro e ilustrada pom Érica Awano ainda ganhou o sexto lugar no Prêmio Internacional de Mangá,realizado no Japão.

Vamos primeiro falar da obra em si e depois dos bastidores,confira a sinopse da serie:
 A história tem início quando Lisandra, uma jovem garota criada na floresta sai a procura de pedir ajuda ao grande ladrão Galtran para conquistar um dos Rubis da Virtude para poder ressuscitar o desaparecido herói Paladino que morrera tempos atrás. Em meio a uma confusão na cidade ela conhece Sandro, filho de Galtran que tenta seguir os passos do pai miseravelmente e a ajuda a conquistar o primeiro rubi. Após isso Sandro descobre da existência de outro Rubi da Virtude com a maga elfa Niele e achando o primeiro falso decide roubar dela, porém após em meio a uma confusão os dois acabam se tornando amigos e partem atrás de Lisandra. Enquanto Sandro passa por inúmeras desventuras com Niele ao encontrar cada vez mais rubis, Lisandra continua sua jornada atrás deles ao lado de seu guardião Tork, um lagarto troglodita e mal humorado.


  Holy Avenger começou como um RPG na revista "Dragão Brasil" em 1998,da Editora Trama,mas logo viria a ter sua própria revista em quadrinho em estilo mangá. O nome da serie veio duma espada dum outro RPG,"Dungeons and Dragons".


 A revista teve apenas quarenta e duas edições com seis especiais,o que é muito pruma revista nacional,mas pouco diante de sua qualidade. Houveram republicações,mas a trama viria a ser encerrada em 2005,quando Marcelo mudou de editora e começou um outro projeto. Mas voltou a ser publicada nesta nova editora,possuindo quarenta e oito páginas de pura aventura. Nesta também foram publicadas tirinhas do "The Litle Avengers",onde os personagens surgiam em curtas histórias totalmente voltadas ao humor com um traço completamente diferente. A revista só teria dez edições.

  Mas os fãs não ficariam orfãos por muito tempo. Em 2012 a Jambô Editora anunciou que lançaria edições encadernadas de "Holy Avengers". A serie já está na terceira edição e pode ser encontrada numa Saraiva livraria perto de você. É importante comprar,mesmo que o estilo da publicação não seja o seu preferido,até como um incentivo para as produções nacionais. A revista tem traço,qualidade e conteúdo poucas vezes visto aqui no país.

 O mais interessante é que Holy Avenger se tornou tão popular que não é dificil de dar de cara com cosplayers de algum personagem numa feira geek (ou na sua casa). A personagem preferida da maioria é a Niele (que por acaso,morre),confira sua versão cospobre cosplay:

 

 Holy Avengers ia seguir os passos dos bons mangás e ganhar uma versão animada,mas não rolou. Por voltas de 2003 os autores anunciaram uma serie animada,no ano seguinte um momento de captação de recursos. Depois viriam a anunciar que devido a Lei de Raoult,que a revista se tornaria um longa e depois,talvez,virasse uma serie animada. Nenhuma das ideias saíram do papel. Enfim,temos uma abertura e uma cena disponiveis no youtube e você vê agora:





 Espero que tenham curtido o post,fiquem com Deus e até sempre...se minha internet de "M" me permitir.

2 comentários:

  1. Se esse é o melhor mangá brasileiro então eu estou muito feliz de brasileiro não fazer mangá. Alem de ser uma história pra lá de clichê e muito sexualizada (embora desnecessariamente sexualizada, já que, dado o conceito de clichê não vai rolar nada alem de uns beijinhos até a ultima edição e quem beijou vai acabar casando) é uma série sem praticamente nenhuma profundidade.

    Possivelmente os prêmios recebidos são mais fruto de ser algo diferente na época que fruto da qualidade do mesmo, hoje dificilmente vale a pena ser re-lido.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah,eu acompanhei as duas fases e tô curtindo '-'

      Excluir