10 agosto 2014

Hilda Furacão Existe e Vive Num Asilo em "Buenos Aires"


 Você com certeza conhece ou já ouviu falar na minissérie "Hilda Furacão", mas o que provavelmente não saiba é que a história é baseada num livro de Roberto Drummond, que ,por sua vez, se baseou na história de Hilda Maia Valentim.

 O escritor misturava fatos e personagens reais com suas "invencionices", o que fez com que a existência de Hilda gerasse grande polêmica. Afinal, ela havia existido mesmo?  "Hilda existiu. Agora de tal forma ela foi mitificada, e mistificada que ela se transformou em um boato. Um boato festivo, colorido, maravilhoso, então o livro é contado através desse boato" o autor disse sobre a mulher para a qual ele teria "se rendido".Relatos de jornalistas locais,até amigos de Roberto,que diziam tê-la conhecido acabou nos levando à verdade.
Na história que o grande publico conhece, Hilda era uma dama da burguesia que viria a se tornar a prostituta mais famosa da capital mineira. Mas Hilda era de origem pobre e acabou por migrar ainda pequena para Belo Horizonte junto com sua família. Na juventude esta se tornou famosa como a prostituta Hilda Furacão, o apelido veio por seu temperamento difícil e falta de paciência, o que resultou em várias brigas com clientes e colegas de trabalho.

 O motivo da saída da verdadeira Hilda da vida de prostituição se deu por conta do jogador de futebol Paulo Valentim. Este ela conheceu na zona boêmia de Belo Horizonte, com quem iniciou um namoro. O casal foi embora para o México, onde Paulo jogou. Sua ultima investida foi em Buenos Aires, onde foi treinador, o que viria a ser uma experiência rápida.

 Não demorou para que o casal estivesse em estado de miséria, o que levou a ex-prostituta a trabalhar como faxineira, cuidar de crianças e etc. A bebida era o grande vicio de Valentim, o que o levaria à ruína.

 Recentemente uma assistente social capixaba que atende num asilo para pobres em Buenos Aires a encontrou. A idosa já não tinha lugar para morar e foi encaminhada para o local. A moça procurou os documentos de Hilda e descobriu que se tratava da viuvá do jogador Paulo Valentim. "Comecei a pesquisar no Google, peguei informações do hospital, fui ver os arquivos do Boca Juniors, escrevi para pessoas de Minas Gerais e cheguei à conclusão de que ela era a Hilda Furacão." A moça declarou à "Folha de São Paulo", mas esta só viria a confirmar a identidade da mulher com a família do escritor citado no inicio do texto.

Hilda Maia Valentim, que inspirou a personagem Hilda Furacao, vive em um asilo público em Buenos Aires desde maio de 2014

 A senhora já não tem uma memória perfeita, mas confirma que Hilda Furacão era seu apelido por ser muito briguenta, mesmo que não goste de ser chamada desse jeito. Saudades ela só diz sentir das viagens com Paulo e que conheceram vários países "de avião e automóvel". Descobriu-se também que Hilda perdeu um filho um ano atras.


 Outro personagem do livro de Roberto inspirado numa pessoa da vida real foi o Frei Maltus, baseado no Frei Betto, amigo do escritor.

 Espero que tenham curtido o post. Só tem uma coisa que gosto mais que esses personagens baseados em pessoas que existiram, e é fazer post sobre isso. Até sempre!

Nenhum comentário:

Postar um comentário