09 julho 2014

Copa e Bala Perdidas


 Uma moça está passando pela frente dum armarinho num começo de tarde,ouve-se um barulho e ela começa a se encolher com a perna ensanguentada,enquanto grita por socorro. As pessoas olham...E só. Até que aparecem algumas pessoas com compaixão e amor pelo proximo que a levam até a "UPA" mais próxima que por acaso só serve para encaminhar o doente para um pronto socorro um pouco maior.

 Meu telefone toca,era a minha tia,mas quem falava era outra pessoa. Fui até a UPA,lá estava ela. Um tiro que não se sabe de onde veio e que quase leva esta mulher pro outro plano. Agora ela já está bem,com uma bala alojada BEM na coxa esquerda. Esperando o tempo certo para a retirada. Busca por um culpado? Não,estamos felizes por ela ter sobrevivido.

 Tá,esse arrodeio todo é pra te perguntar: Onde vamos chegar com isso? Até quando o cidadão honesto tomará lugar de bandido e permanecerá preso? Pois,sim,uma especie de prisão domiciliar. Por mais bobo que seja,todos pensamos que seja coisa de TV,que não vai rolar com um proximo.  E o que se pode fazer? Respeitar aos que dominam as ruas e permanecer em casa,saindo apenas para o indispensável.

 Onde vamos parar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário