23 junho 2014

Dercy Gonçalves,Nossa Dama do Humor - Bravo,Bravíssimo!





 A exatos 109 anos atras,nascia uma estrela,nada menos que a dama do humor brasileiro. Alguém que nasceu Dolores,mas que viveu Dercy,Dercy Gonçalves. É triste que por conta dum evento como a Copa,uma grande homenagem para esta artista não seja feita. Que tal fazer minha parte?

 Dolores escolheu Dercy para nome artistico,por causa de Darcy,esposa de Getúlio Vargas. Dercy teve uma infância difícil,sofrendo preconceito e sendo chamada de "negrinha" (por ser neta de negros e ter cabelos crespos) ou "puta",como ela mesmo brincava nos seus shows de stand up. Teve que trabalhar muito cedo para ajudar nas despesas de casa,na bilheteria dum cinema. O que a fez admirar as divas do cinema mudo e se interessar pela atuação e pela maquiagem. 

 Abandonada pela mãe e brigada com o pai,fugiu de casa para se juntar à companhia de teatro de Maria Castro (mais uma que viria a ser esquecida na história,mas que teve papel importantíssimo para o sucesso da estrela Dercy).

 Inocente,mesmo depois de fugir de casa e agora estar "casada" (já que de começo era tudo no papel),Dercy continuava brincando com suas bonequinhas de pano que tinha desde pequena. Uma tipica moça do interior,diferente de tudo que a acusaram ser. Dercy tinha uma bela voz,atrapalhada por uma forte tuberculose. Sem voz ou dinheiro,Dercy acabou recebendo ajudoa dum exportador de café Ademar Martins Senra,pai da unica filha da nossa estrela,Dercimar.

 Dercy foi ajudada por Ademar na criação da filha,no começo,mas acabou por sustentar sua filha sozinha. A loira partiu para o teatro de revista,onde fez imitações de Carmen Miranda. Dercy assistiu uma peça portuguesa onde o ator usava palavrões e a platéia caia na risada,então...Por que não fazer? Não demorou para estrelar vários espetáculos,até que nos anos sessenta ela entra em carreira solo.

  Um momento que amo e que é pouco conhecido na carreira de Dercy,é a sua ida aos cinemas. Em 1943 ela faz a primeira aparição no filme "Samba em Berlim",mas foi em 1956 quando ela ganhou destaque e foi ao núcleo protagonista de "Depois eu Conto". Dercy foi uma das estrelas das famosas chanchadas da Atlântida (produtora que investia neste estilo),chanchadas eram as comédias musicais que vieram depois do tema carnavalesco,chancada queria dizer "coisa mal feita". Os criticos costumava dizer que ninguém gostava de chanchadas...só o publico. Enfim. Foi inciado o império das "Inas" de Dercy: Minervina,Valentina,Etelvina,Gonçalina e muitas outras! A imagem que muitos tem de Dercy é duma senhora desbocada,que só falava palavrão e pronto...eu também achei  isso na minha infância,até que, por acaso, vi um filme dela na TV Cultura e adorei! Essa foi a minha fase preferida da atriz.


 Dercy foi para a TV, sendo igualmente sucesso. Foi a funcionária mais bem paga da TV Excelsior,indo pra TV Rio e depois para para a Rede Globo,a qual ela ajudou a pôr onde está,mas que acabou saindo por conta da ditadura,que enchia o saco, tanto no teatro quanto na TV.



  A humorista acabou entrando pro Guinnes Book,por ser a artista em atividade por mais tempo,mas isso parece ter acontecido pelo sofrimento dum desfalque por parte dum empresário inescrupuloso,a fazendo retomar a carreira aos oitenta.

 Algo que só me fez admirá-la mais foram suas frases e colocações celebres. Dercy dizia que não era velha,velha é a pessoa gagá,o que ela nunca foi...nem em seu ultimo suspiro.

 Perdão pelo texto que te fiz ler,mas é para Dercy,deveria ser bem maior,nada que fizermos estará à "Nivel Dercy".




"Não vou pro 'Retiro dos Artistas',não vou pedir emprego,não vou pedir nada a ninguém,vou morrer na minha!" (verdade)

Nenhum comentário:

Postar um comentário