15 abril 2014

O Fantasma,a História do Espirito Que Anda


 Hoje vim falar um pouco de mim,dos meus gostos. Sempre gostei muito de gibis e de desenhos envolvendo super heróis,mas sempre gostei mais dos que eram mais próximos a nossa realidade. Sempre fui fã dos heróis que não tinham grandes poderes além força e inteligência,o meu preferido é o Fantasma.
 O conheci durante a exibição duma adaptação cinematográfica,na tão repetitiva sessão da tarde,virei fã. Fui encontrar seus gibis no sebo nos ultimos dias e suas histórias parecem viciar. Claro que um cara viver no meio duma floresta governando os nativos com seu cão e cavalo não é uma coisa natural,mas não vai ao sobrenatural e chega a ser possivel.

 O Fantasma foi parcialmente baseado no Tarzan (sendo o mais original dos personagens ambientados nas selvas)e criado pelo mesmo criador do mágico Mandrake,Lee Falk. O personagem era idealizado com uniforme cinza,mas quando a primeira tira colorida saiu houve um erro de impressão,lá surgia um Fantasma de uniforme roxo. Mais tarde,Lee passou a planejar um idolo das selvas com uniforme roxo,acabou fundindo com o Fantasma e assim ele ficou.

 O personagem foi o primeiro heroi a ter uniforme,mas não adiantou muito o autor escolher uma cor para ele. O Fantasma era impresso de acordo com as possibilidades do país,fazendo com que ele mudasse de cor nessa volta ao mundo. O personagem foi azul,marrom e começou vermelho no Brasil,só vindo a ser roxo em meados das reedições dos anos noventa. Apesar de conhecido como "o espirito que anda" e até mesmo" o homem que não morre" ele não tem nada de sobrenatural. Na verdade é uma dinastia de heróis que matem a paz nas selvas há seculos,que começou com um desejo de vingança,o primeiro Fantasma teve o pai morto por piratas e jurou combater todo o tipo de pirataria.

 A marca do  Fantasma é muito famosa. O mesmo usava dois anéis,um para as pessoas que queria proteger e outra era a marca da caveira,seu cartão de visita para os inimigos. Ele podia ser visto tanto lutando pela paz na selva,quanto com um sobretudo e oculos escuros na cidade e combatendo a corrupção (cadê o Fantasma no PT?). Sua eterna namorada é Diana,os dois se apaixonaram sem nem se conhecer,por carta,e só vieram a se casar em 1978 (edição histórica).  Ah! Falando de Diana,ela era a mulher perfeita para um heroi,diferente das mocinhas,não era só bonita,era inteligente e ajudava o heroi sempre que podia. O Fantasma contou sua história e de seus antepassados somente para ela,como sempre foi,os Fantasmas só contam seus segredos para a mulher com quem pretendem casar.



O grande brasileiro André LeBlanc,famoso por ilustrar livros de Monteiro Lobato,contribuiu muito para a evolução do Fantasma. Criticado pela politica,ele foi acusado de estereotipar povos e talvez de racismo. O Fantasma era descendente de britânicos e reinava sobre uma tribo de pigmeus,por diversas vezes retrataram os africanos como selvagens e chineses como sádicos,mas com o fim da segunda guerra ele acabou mudando de posição. O que tornou o Fantasma mais humano,com suas contradições como todo o outro.

 O heroi também criticava à ditadura em diversas edições,não era dificil de surgir um homem branco afim de enganar a população e destoar os direitos humanos,no fim dos anos setenta isso se intensificou,Diana acabou até se tornando membro da ONU. O post foi longo,mas valeu à pena,espero que tenham curtido,fiquem Deus!

Nenhum comentário:

Postar um comentário